Agradecimentos da Campanha Índios e quilombolas de Oriximiná.

03/12/2013 11:24

“Queria agradecer em nome dos povos Kaxuyana e Tuyana o seu apoio na campanha. Esta ação é de muita importância pra nos ajudar a fazer com que os governantes entendam a nossa causa, nós queremos nossas terras e só falta a Funai finalizar o processo. Foi muita força estar junto com nossos parentes quilombolas em busca de nossos direitos. Agradecemos pelo apoio e estamos confiantes que vamos atingir nossos objetivos, contamos com a ajuda de todos” Juventino Kaxuyana

“Essa campanha ajuda a divulgar os nossos direitos para toda a sociedade. Nossa comunidade (Jauari) fez um abaixo-assinado pedindo as mesmas coisas que a campanha, só que com essa mobilização na internet estamos conseguindo chegar mais rápido nas autoridades. Quem colaborou com a campanha está dando respaldo para nossas comunidades, então, ficamos agradecidos” Francisco Hugo de Souza, da Comunidade de Jauari

“Essa campanha nos ajudou muito e através disso estamos alcançado nossos objetivos e tenho certeza que vamos conseguir. Gostaria de dizer muito obrigada para cada um que está nos dando força, levando nossa mensagem para todo canto” Nilzanira Melo de Souza, Coordenadora de Jovens e Mulheres da Arqmo - Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Município de Oriximiná

Escrevemos para agradecer o seu apoio à campanha “Índios & quilombolas de Oriximiná: juntos na defesa de seus direitos territoriais” e pedir que continue divulgando para que mais pessoas se solidarizem.

Desde 2 de outubro, índios e quilombolas de Oriximiná estão cumprindo a agenda de atividades da campanha. Foram a Belém para o ato de lançamento. Estiveram também em Brasília apresentando suas reivindicações para a Funai, Ministério da Justiça, Secretaria Geral da Presidência da República, Casa Civil, Fundação Palmares, ICMBio e Ministério Público Federal. Somente o Ibama se recusou a receber a delegação.

Nesse curto período de dois meses, conseguiram o apoio do Ministério Público Federal que, em novembro, ingressou com duas ações civis públicas para fazer valer as reivindicações da campanha. Uma das ações requer que a Funai publique no prazo máximo de 20 dias o relatório de identificação da TI Kaxuyana-Tuyana e a outra pede decisão que obrigue o Incra a publicar em 30 dias o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID) das áreas quilombolas do alto rio Trombetas. Ainda não há decisão nas duas ações.

Mas a campanha está apenas no começo e a mobilização precisa continuar. As atividades da Mineração Rio do Norte prosseguem dentro da Terra Quilombola mesmo após as denúncias.

Dê mais uma vez o seu apoio: divulgue a campanha e convide seus amigos a enviar emails.

Terra Demarcada/Titulada Já

Mineração Não.

Saiba mais: http://www.quilombo.org.br/#!indios-quilombolas/cz17

Bianca Pyl

Assessora de Comunicação

Comissão Pró-Índio de São Paulo