CARTA ÀS AUTORIDADES DOS PODERES EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

21/12/2012 10:14

 

      " Estado que planta exclusão social e tortura colhe violência"

 As redes de familiares de vítimas diretas da violência, as organizações do movimento negro, os movimentos sociais do campo e da cidade, cursinhos comunitários, sindicatos, associações, saraus periféricos, posses de hip-hop, imprensa alternativa, partidos de esquerda e várias outras entidades representativas da sociedade civil, organizados no COMITÊ CONTRA O GENOCÍDIO DA JUVENTUDE NEGRA E PERIFERICA DE SÃO PAULO, diante da onda de violência que tomou o estado e dos inúmeros indícios de execuções de civis por grupos de extermínio formado por policiais, vêm EXTERNAR sua total preocupação com a saída temporária de Natal, nos seguintes termos:

 1º) É mais do que notória a escalada de violência que, desde maio desse ano, tomou as ruas de São Paulo, sobretudo das periferias, e cujas origens, infelizmente, estão relacionadas à prática organizada e reiterada de chacinas pela polícia;

 2º) O alvo das chacinas é composto pelo mesmo povo massacrado e perseguido historicamente nesse país: o povo negro, jovem e periférico;

 3º) É igualmente notório que grande parte das execuções ocorridas foram precedidas de consulta à folha de antecedentes criminais das vítimas (conforme declarado publicamente pelo ex-Delegado Geral da Polícia), a demonstrar que a execrável prática é premeditada e configura verdadeira política subterrânea de extermínio; 

4º) Diante desse obscuro quadro, é extremamente preocupante o advento da próxima saída temporária de Natal, na qual dezenas de milhares de pessoas que fazem jus a esse DIREITOestarão provavelmente expostas às miras desses grupos de extermínio; 

5ª) Não podemos admitir que a violência provocada pelo próprio Estado sirva de subterfúgio para tolher esse importante DIREITO a que fazem jus as pessoas cumpridoras de suas penas em regime semiaberto, como temerariamente propõe o Ministério Público; 

ANTE O EXPOSTO, REIVINDICAMOS: 

- Sejam tomadas todas as medidas para assegurar a vida daquelas e daqueles que se beneficiarão com a “saidinha” de Natal, Indulto/ Comutação, adotando-se todas as medias cabíveis para coibir e apurar abusos policiais. 

- A responsabilização do Governo do Estado, Senhor Geraldo Alckmin, pelas centenas de execuções que ocorreram com o seu aval.

Marisa Feffermann

 “Nós vos pedimos com insistência
 Nunca digam - isso é natural
 Diante dos acontecimentos de cada dia.
 Numa época em que reina a confusão
 em que corre o sangue
 Em que ordena-se a desordem
 Em que o arbítrio tem força de lei
 Em que a humanidade se desumaniza
 Não digam, nunca – isso é natural”
                                    Bertold Brecht