Fiscalização constata destruição da Mata Atlântica no Vale do Ribeira/SP

11/12/2012 09:10

 

Fiscalização constata destruição da

 

 

 

Mata Atlântica no Vale do Ribeira, SP

 

Cerca de 750 mil metros quadrados foram desmatados.
Proprietário terá que pagar multa de R$ 2,5 milhões e poderá ser preso.

 

                           Do G1 Santos

 
 
 
 
 
 
 
Sobrevôo de helicóptero constatou desmatamento no Vale do Ribeira, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)Sobrevôo de helicóptero constatou desmatamento no Vale do Ribeira, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

     

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
         
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Policiais ambientais, acompanhados da fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, constataram a destruição de uma grande área de Mata Atlântica na região do  Vale do Ribeira. O dono da propriedade, que sabia das restrições de ocupação do terreno, vai pagar uma multa de mais de R$ 2,5 milhões e pode ser preso
 
 
 
 
 
 
 
 
 
               
 

A fiscalização só conseguiu constatar o crime ambiental por causa de um novo programa de monitoramento, via satélite implantado em todo o estado de São Paulo. O secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas, comprovou em um sobrevoo sobre o local o que o satélite havia mostrado. A área desmatada fica nas cidades de Sete Barras e Eldorado, no Vale do Ribeira. São mais de 75 hectares, 750 mil metros quadrados em torno do Parque Estadual Intervales, região de Mata Atlântica protegida pela legislação.

Depois de sobrevoar a região, Covas acompanhou em terra o trabalho da Polícia Ambiental. “Ele pediu autorização. A autorização não foi dada pela Secretaria e mesmo assim ele devastou uma área rica como esta, de Mata Atlântica e vegetação primária. Algo que é um santuário ecológico e que nós deveríamos proteger”, disse o secretário.

O proprietário da área tentou esconder o desmatamento, deixando uma cortina de árvores para impedir que a destruição do terreno fosse vista da estrada. Sem um sobrevoo ou o sistema de cruzamento de dados via satélite, os policiais ambientais não teriam como perceber o desmatamento.

Edson Morais, capitão da Polícia Militar no Vale do Ribeira, acompanhou a vistoria ao local. “Toda área foi embargada e interditada, os materiais foram apreendidos e vai ser movida agora uma ação penal contra essa pessoa, que vai responder por esses crimes. O somatório das penas pode estar em torno dos oito anos, bem como nós vamos solicitar ainda a instauração de uma ação civil pública, para reparação dos danos ambientais. Ele vai ter que recuperar toda essa área que foi degradada e mais ainda um pouco para reparar os danos ao ambiente, que é patrimônio de toda coletividade", disse.

Cerca de 80% de toda a Mata Atlântica paulista ficam na região do Vale do Ribeira. O programa de monitoramento via satélite têm só dois meses e já conseguiu detectar vários pontos devastados. Os policiais encontraram também árvores ameaçadas de extinção arrancadas, como a palmeira jussara e outras de madeiras de lei. “Foi apreendido madeira desdobrada, ou seja, já serrada, pronta para a venda”, contou o policial.

Fonte: G1.com