Homenagem Carlos da Silva e Laurindo Gomes

15/10/2012 09:57

HOMENAGEM

 

Carlos da Silva – Quilombo São Pedro – Eldorado/SP

Assassinado Dia 03/07/1982.

Foto: Carlito

        

 

CARLOS DA SILVA, o “Carlito”

Carlito passou fazer parte da grande lista de mártires da grilagem e do “deus” dinheiro no Brasil.

Em 1976 Francisco Tibúrcio do Nascimento comprou 60 alqueires de terras e logrou ocupar 1.522 há, envolvendo as terras do Bairro São Pedro.

Tibúrcio mostrava também ser um homem de personalidade truculenta: derrubava cercas, contratava jagunços e lhe fornecia armas, queimou duas casas, deixava seu gado invadir as plantações dos posseiros, criava contendas com a comunidade por querer ocupar terras que não lhe pertencia, ameaça moradores com armas de fogo, até que alguns se viram obrigados a fazer acordo e deixar suas terras.

Segundo testemunhas, Tibúrcio avisou Carlito, que se não saísse da terra, iria haver morte.

E isto aconteceu dia 03/07/1982. Dois jagunços de Tibúrcio atiraram em Carlito, matando-o a traição no momento que saia de casa.

 

                                                              

 

Laurindo Gomes – Quilombo de Praia Grande – Iporanga/SP

Desaparecido dia 18/02/2011

foto: Laurindo Gomes

LAURINDO GOMES

Morte por causa de terra no Brasil, não surpreende mais ninguém, porque desde antes de 1.500, esta é uma prática comum, assim como é comum que os culpados permaneçam impunes.

No Vale do Ribeira, não está sendo diferente, embora seu caso não tenha alcançado a grande mídia, talvez até mesmo por causa da cobiça que ronda a região pela sua grande riqueza em biodiversidade e grande potencial turístico.

Dia 18 de fevereiro de 2011, desapareceu misteriosamente,  LAURINDO GOMES, liderança da Comunidade Remanescente de Quilombo de Praia Grande, Município de Iporanga/SP.

 

                                                                                                           foto: Quilombo de Praia Grande- Iporanga/SP.

Neste dia, por volta das sete (07) horas da amanhã, Sr. Laurindo, que era também Agente Comunitário de Saúde, dirigiu-se para as margens do Rio Ribeira de Iguape, onde tomaria o barco (único veículo para sair do Quilombo). Carregava um balde de mel, algumas abóboras e uma mochila. Foi visto pela última vez por sua ex-esposa se dirigindo para o Rio.

Laurindo estava indo para uma reunião de lideranças na cidade de Iporanga, onde se organizavam para a noite ir à Câmara Municipal, requerer a instalação de uma CPI para investigar o Prefeito, pela sua inércia em relação às Políticas Públicas do Município.

                                                                                                                               foto: Laurindo Gomes

 

foto: Laurindo Gomes ainda Jovem no quilombo de Ivaporunduva

 

O lavrador é um soldado,

sem farda para se identificar,

mas é um herói consagrado,

sem medalhas para apresentar.

Mas se não fosse esses pobres coitados,

O povo da cidade não tinha como se alimentar,

Porque lá é só cimento armado,

E em cimento nada se pode plantar.

Iam passar apertado porque arroz e feijão, não se pode fabricar.

(Leonila Priscila da Costa _ Quilombo Abobral Margem Esquerda – Eldorado/SP)

Coordenação EAAACONE

www.eaacone.org

eaacone@eaacone.org