O MST PAROU O TREM DA VALE EM TUMIRITINGA-MG

21/01/2013 10:44

           O  MST ,  dando  continuidade  a  jornada  de  lutas  ,  por  justiça  para  Felisburgo  e  pela  suspenção  dos  Despejos , informa  que  o  Trem  da  Companhia  Vale  do Rio Doce  foi  parado  essa  manhã  pelos  Trabalhadores  Rurais  Sem-Terra,  no município  de  Tumiritinga,  em meio  a  fazenda  improdutiva  da  empresa  FIBRIA ,  Rancho  Miura.

           Essa  é  mais  uma  importante  manifestação  dos  Trabalhadores  Rurais  Sem-Terra  que  não  toleram  mais as  injustiças.  Temos 21 despejos para  serem  executados  pelo  aparato  repressor  do  estado  de  Minas  Gerais,  são  áreas  improdutivas  que  por  Lei  já  deveriam  ter  sido  destinadas  a  reforma  agrária,  mais  pelo  conchavo  entre  o estado  brasileiro  as  empresas  transnacionais  e  o latifúndio ,  os  trabalhadores  continuam  sendo  penalizados.
          Somos cerca de 1000 trabalhadores rurais  Sem -Terra  com  disposição  de  ficar  sob  os  trilhos  da  roubada companhia  Vale  do  Rio  Doce  até  que  o  INCRA,  se  manifeste  pela  vistoria  da fazenda  Corgo  da  Prata,  pela  suspenção  do  despejo  da fazenda  Rancho  Miura ,  ambas  improdutivas , devedoras  e  adquiridas pela  fibria,  com  dinheiro  público.
-  Exigimos  que  os  governos  avancem  na  desapropriação  dessas áreas . 
- Exigimos  do  governo  do  estado  uma  reunião com secretario  de  segurança  publica,  para  tratar  dos  despejos.
- Pela Condenação do assassino Adriano Chafik, principal responsável pelo Massacre de Felisburgo
          Por fim, estamos iniciando o ano de 2013 com muitas Lutas, e essa será a resposta do MST a  irresponsabilidade  dos  governos.  Se não lutarmos pela  reforma  agrária que está paralisada e pela condenação do assassino Adriano Chafik que matou 5 Sem-Terra e após 8 anos ainda permanece solto continuaremos sendo mortos.
MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA – MST                                  
 
 "O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem" ( Guimarães Rosa)