Quilombolas do Vale do Ribeira discutem criação de banco de sementes tradicionais

16/12/2014 10:24
                                                                                                                                                     Alexandre Kishimoto

Evento reuniu 18 representantes dos quilombos de Iporanga e Itaoca, além da equipe do programa Vale do Ribeira do ISA

Na terça e quarta da semana passada (2 e 3/12), aconteceu o “Encontro de gerações das comunidades quilombolas do Vale do Ribeira: Troca de conhecimento sobre manejo, plantio e variedades agrícolas”, no auditório do núcleo Ouro Grosso do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar), em Iporanga, no sul de São Paulo.

O evento reuniu 18 representantes dos quilombos dos municípios paulistas de Iporanga e Itaoca (Nhunguara, Pilões, Maria Rosa, Piririca, Porto Velho, Cangume e Bombas), além da equipe técnica do programa Vale do Ribeira do ISA.

O objetivo foi iniciar o debate sobre a conservação e recuperação de variedades tradicionais cultivadas nos quilombos, valorizando o conhecimento dos agricultores sobre as sementes e sobre o manejo das roças, a segurança alimentar e o seu significado para as futuras gerações. Visando o intercâmbio entre as gerações, foi incentivada a presença de jovens de cada comunidade para dialogar com os quilombolas mais experientes.

Participantes chegaram ao consenso de que deve ser constituído um banco de sementes dos quilombos do Vale do Ribeira

Os participantes trabalharam na elaboração de um diagnóstico da situação das mudas e das sementes tradicionais, as espécies e variedades perdidas e aquelas cultivadas nos quilombos atualmente, o manejo tradicional das roças e das espécies nativas, bem como as estratégias de conservação de sementes adotadas pelas comunidades quilombolas. Os participantes chegaram ao consenso de que deve ser constituído um banco de sementes dos quilombos do Vale do Ribeira.

A preocupação dos quilombolas da região com a perda de sementes tradicionais já vem de muitos anos. A questão vem sendo discutida, por exemplo, no grupo de trabalho da roça, que reúne os quilombolas e seus parceiros, desde 2006. A Feira de Troca de Sementes e Mudas Tradicionais das Comunidades Quilombolas do Vale do Ribeira, evento que ocorre anualmente desde 2008, foi constituída para potencializar a prática secular dos quilombolas do Vale do Ribeira de produção e armazenamento das sementes.

Participantes trabalharam na elaboração de um diagnóstico da situação das mudas e das sementes tradicionais, as espécies e variedades perdidas e aquelas cultivadas nos quilombos atualmente

Na sétima edição da feira, em agosto, o grupo que debateu o armazenamento de sementes contou com o relato de experiências da Bionatur, cooperativa de produção de sementes formada por assentados da reforma agrária ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); da Rede de Sementes do Xingu, que reúne 350 coletores de sementes florestais formada por indígenas, agricultores familiares e viveiristas, espalhados por 21 municípios de Mato Grosso; e da Kokopeli Brasil, associação sem fins lucrativos de origem francesa que se dedica à preservação e à reprodução das sementes. Os debates contribuíram para que as comunidades quilombolas conhecessem e avaliassem algumas experiências e refletissem sobre como estruturar uma solução específica para isso.

No primeiro semestre de 2015, será realizada uma nova edição do encontro, agora com as comunidades quilombolas situadas na região de Eldorado: Sapatu, Pedro Cubas, Pedro Cubas de Cima, Abobral, Galvão, Ivaporanduva, Praia Grande, Morro Seco e São Pedro. Reuniões sobre o tema serão realizadas em cada quilombo. Uma plenária final reunirá os quilombolas dos dois núcleos (Iporanga/Itaoca e Eldorado) para a ratificação do planejamento para a implementação do banco de sementes.

O “Encontro de gerações nas comunidades quilombolas do Vale do Ribeira” é uma das ações do projeto “Sistema Agrícola Quilombola: soberania alimentar, cultura e geração de renda”, realizado pelo programa Vale do Ribeira do ISA em 18 quilombos do Vale do Ribeira, com o patrocínio da Petrobrás.

 

Fonte:Socioambiental.org